Erros 4 e 5 – Traçar objetivos impossíveis e ignorar fatores genéticos!

Erros 4 e 5 – Traçar objetivos impossíveis e ignorar fatores genéticos!

«
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
»

Fazer dietas rigorosas demais

Regimes restritivos estão fadados a terminar um dia, mas quem sofre com obesidade ou sobrepeso terá que lidar com esse problema para sempre. Dietas que restringem nutrientes essenciais, como carboidratos, proteínas ou gorduras, além de não funcionarem a longo prazo, são prejudiciais à saúde, já que as refeições deixam de ser balanceadas. “O ideal é um planejamento alimentar pensado para cada pessoa, pois cada um tem organismo, genética e rotina diferentes”, explica o endocrinologista Bruno Geloneze.

Ter obsessão com a balança

Ansiedade e desânimo podem ser alguns dos sentimentos provocados quando uma pessoa se pesa frequentemente. Uma perda de peso saudável é progressiva e lenta, então não vale à pena criar expecativas quanto a resultados a todo o momento. Aqueles que seguem uma alimentação saudável e praticam exercícios físicos podem não diminuir o peso na balança, mas estão emagrecendo, já que estão substituindo gordura por massa magra. “Além disso, as pessoas não devem se iludir quando perdem peso sem fazer exercícios físicos, pois muitas vezes perderam massa magra, e não gordura”, explica Geloneze.

Não procurar acompanhamento profissional

A reeducação alimentar, a escolha da medicação e a prática de exercícios devem ser acompanhados por médicos, nutricionistas e educadores físicos. Quem dispensa os profissionais corre risco de não conseguir emagrecer, prejudicar a saúde e sofrer contusões, por exemplo.

4- Traçar objetivos impossíveis

Quem pretende emagrecer muito e em pouco tempo pode se decepcionar e acabar desistindo de conseguir um objetivo saudável e mais acessível. Segundo o médico endocrinologista Alfredo Halpern, o ideal é que se perca de meio a um quilo por semana, e não mais do que isso. Para Geloneze, ter uma perda exorbitante de peso é extremamente difícil, e manter tal resultado é impossível.

5- Ignorar o fator genético


Quem tem uma genética que facilita o ganho de peso não deve se acomodar com essa situação, mas deve levá-la em consideração quando pretende perder peso. “Cada um deve querer emagrecer de acordo com a sua estrutura e nunca comparar o seu peso com o de alguém com tendência a ser magro”, explica o endocrinologista João Eduardo Nunes Salles. Segundo os médicos, pessoas com obesidade de grau I ou II que perdem 10% de seu peso, entre 3 e 6 meses, já têm grandes melhoras em problemas cardiovasculares e diabetes, por exemplo.

DICA DA NUTRICIONISTA: É importantíssimo que o emagrecimento seja duradouro. Isso jamais será alcançado com dietas da moda e perdas de peso radicais. Vale a pena buscar por uma reeducação alimentar e ficar livre do problema para sempre!

 
SE VOCÊ GOSTOU DESTE POST, CADASTRE-SE PARA ACOMPANHAR O BLOG OU CLIQUE CURTIR NA PÁGINA DO FACEBOOK PARA LER NOTÍCIAS NA SUA PÁGINA: http://www.facebook.com/nutricionista.alinelamarco
2018-10-19T15:08:56+00:00

About the Author:

Aline Lamarco - Nutricionista em Alphaville - Nutricionista Estética, Esportiva, Clínica e Materno-infantil. Planos alimentares individualizados e saborosos, baseados na Gastronomia saudável, em busca do bem-estar físico e psicológico, que levam à resultados definitivos. Treze anos de experiência em consultório, Pós-graduada em Nutrição Esportiva (USP) e Materno-infantil (UNIFESP), com título de Especialista em Fitoterapia (ASBRAN).

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.