Quem sou eu

Minha foto
Nutricionista Clínica, esportiva, gestacional e infantil. Consultório em Alphaville (Tel: 4175-9777) há 10 anos, com técnicas bem inovadoras e diferenciadas, focando especialmente no bem estar psicológico e emocional do paciente. Reeducação alimentar associada à Gastronomia para resultados definitivos e uma rotina agradável!

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Queda de cabelo feminino - o que fazer? - parte 1

Hoje vou falar sobre algo que angustia muito as mulheres: a queda de cabelos ou alopécia. A alopécia feminina normalmente é bem diferente da masculina e é dela que falaremos hoje. Poucas coisas podem ser tão angustiantes para uma mulher que perceber que seus fios estão caindo aos tufos, entupindo ralos, o travesseiro lotado... A perda de até 100 fios por dia é normal, mas a perda aumentada cresce a cada dia devido a fatores como estresse, ansiedade, depressão e carências nutricionais. Agressões químicas e secador em excesso também podem levar ao problema.
É realmente importante que o problema seja diagnosticado o quanto antes, pois nem sempre a solução é rápida.
No meu caso, por exemplo, a queda teve início há 4 meses. Fiz todos os exames de sangue buscando por problemas hormonais, como ovários policísticos e hormonios tireoideanos, mas todos estavam em ordem. A dermatologista concluiu que a causa era apenas um estresse que tive no ano passado. O tratamento seguiu apenas com suplementos nutricionais (precisa dizer que usei TO-DOS?) e o minoxidil, manipulado pela dermatologista, para uso local, que diminui a queda e estimula o crescimento. Passei a usar shampoos especiais também para prevenir a queda e a caspa, da La Roche-Posay, também prescritos pela dermatologista.
Veja bem, incluí os suplementos Pantogar, Noukrin e Exímia Fortalize, passei o Minoxidil 5% todos os dias (ele é uma chatice, deixa o cabelo duro), pesquisei tudooo e três meses de tratamento depois, eu tinha perdido, simplesmente, 40 a 50% dos fios! 
Procurei outra profissional e insisti que não estava passando por nenhum estresse e que alguma outra causa tinha que estar levando à queda capilar. Cheguei a contar os fios um dia e perdi 350!!! Veio mais uma pesquisa com ultrassonografias e aí sim diagnosticaram que tenho ovários policísticos.
Agora o tratamento incluiu Aldactone (espironolactona 100 mg), Androcur (acetato de ciproterona 50 mg) e Glifage (metformina 500 mg). E claro, uma dieta para ovários policísticos que eu mesma montei :)
Gostaria de aproveitar o post e recomendar MUITO CUIDADO se você começar a perder fios. Eu tive um diagnóstico errado e perdi tempo , mas muita gente vai ao meu consultório achando que vai tomar uma vitamina e o cabelo vai parar de cair. Ou me conta que está passando o produto que a amiga indicou. Se não parar, aííí procura um dermatologista. Veja, em 4 meses perdi quase 50% do meu cabelo :( Ainda bem que eu tinha bastante...

E você, já passou por algo parecido? Tem ou teve queda capilar? Como foi o tratamento?
Farei um post falando sobre ovários policísticos e em um mês faço a segunda parte deste post contando como foi a evolução agora que realmente tenho um diagnóstico.
Troca de idéias são muito bem-vindas, se você passou ou está passando por isto, deixa um comentário, ok?
Beijinhos


SE VOCÊ GOSTOU DESTE POST, CADASTRE-SE PARA ACOMPANHAR O BLOG  POR EMAIL NO LINK AO LADO DESTE POST
OU CLIQUE CURTIR NO FACEBOOK NA FAN PAGE ABAIXO, PARA LER NOTÍCIAS NA SUA PÁGINA: www.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

Instagram: @nutri.aline

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Como sobreviver (feliz) à Páscoa! - 2015

Este é um tema que deixa a maioria das pessoas confusas, então vou reeditar este post, mais uma vez!
Você está em plena dieta há um mês, um ano (ou desde sempre - rs) e de repente chega a Páscoa. A pergunta que não quer calar é: "E agora, o que eu faço?" Afinal você vem fazendo um bom Programa alimentar, atividade física, não quer engordar e ao mesmo tempo não quer ficar sofrendo neste feriado, certo?
Vou passar algumas dicas que, sem dúvidas, tornarão a tarefa muiiito mais fácil.

1- A primeira coisa é: se presenteie com um pequeno presente de Páscoa sim! O mesmo vale para as crianças. Todos os anos fico assustada com a quantidade de posts que vejo recriminando quem vai comer ovos de Páscoa. Este terrorismo nutricional não vai levá-lo a lugar algum! A Reeducação Alimentar é o que funciona à longo prazo, então vamos pensar em atitudes que seriam razoáveis manter para sempre. Você acha que pode passar a Páscoa de todos os próximos anos sem comer nenhum chocolate? Ou será que vai manter-se magro se comer 4 ovos de chocolate por ano? A grande dica é o equilíbrio, afinal "a privação gera compulsão". 
Presenteie-se com algo que você adore, de até 400 gramas. É algo tranquilo de se cumprir toda Páscoa, certo? 

2- Melhor ainda: você pode dividir o ovo em pequenos pedaços e curtir este presentinho por mais meses. As melhores opções são comr pequenos pedacinhos depois de um almoço rico em fibras (folhas e vegetais) e proteínas magras ou antes de ir para a academia. Se for um ovo recheado, divida em partes e congele. A duração aumenta para 3 meses. 

3- Nada de comprar ovos light, diet... Compre seu preferido! O objetivo é se satisfazer com seu presente e recompensar seu esforço na dieta. Não adianta comprar um ovo que não mate sua vontade. Ovos diet, por sinal, engordam mais que o normal. São apenas para diabéticos!

4- Na Páscoa é comum as pessoas pensarem que não fazem questão do ovo e se transformarem no "pedinte da Páscoa" risos. Você deve conhecer algum. É aquele membro da família que diz não fazer questão de chocolates e não compra nada para não engordar. Passa a Páscoa toda pedindo um pedaço para o filho, marido, outro para os pais... Muitas vezes é o que mais come, mas nunca se sacia, pois sempre tem a sensação de que não comeu a quantidade que queria, nem seu sabor favorito. Lembre-se da importância de dar a si ou aos seus filhos o ovo de sabor preferido.

5- Doe os ovos excedentes. Não tenha apego, na prática você não conseguirá se controlar e o excesso será prejudicial à saúde e à forma física. O conselho é especialmente válido para crianças, que ganham diversos ovos: dos pais, amiguinhos, tios, padrinhos... Combine com os mais próximos que presentearão com algo diferente de chocolate. Os outros, doe. Muitas pessoas não tem dinheiro para comprar ovos no nosso país. Você pode doar para a faxineira, porteiro, secretária ou para uma campanha. É excelente estimular este lado, especialmente nas crianças, pois é muito importante aprender sobre a caridade desde cedo.

6- Para as refeições de Páscoa, a palavra chave é priorizar. Qual sua refeição preferida? Na sexta-feira da Paixão , um bacalhau? O almoço de domingo? Escolha uma das refeições de Páscoa e coma tranquilamente. Na outra, procure priorizar a proteína (carne, peixe ou frango) servida com uma salada grande. O importante aqui é não mergulhar num feriado gastronômico, regado à bacalhau no azeite na sexta, churrasco no sábado, pizza, almoço de domingo, chocolate e muiita cerveja, certo? Da própria refeição disponível em casa, você pode montar uma versão mais light no seu prato.
E nada de passar a semana toda comendo as sobras, hein? Divida com os parentes, congele...


Boa Páscoa e aproveite para curtir este lindo sol!


SE VOCÊ GOSTOU DESTE POST, CADASTRE-SE PARA ACOMPANHAR O BLOG  POR EMAIL NO LINK AO LADO DESTE POST
OU CLIQUE CURTIR NO FACEBOOK NA FAN PAGE ABAIXO, PARA LER NOTÍCIAS NA SUA PÁGINA: www.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

Instagram: @nutri.aline

terça-feira, 24 de março de 2015

Alimentação correta para ganho de massa muscular


Uma das coisas que mais vejo no meu consultório são pacientes que querem ganhar massa muscular e eliminar gordura. Conseguir, efetivamente, ganho muscular sofre a influencia de inúmeras variáveis e depende muito mais que de apenas um treinos de musculação. Temos fatores como a carga genética, a quantidade de sono, a duração dos intervalos entre as refeições, o que comer antes do treino, pós treino... 
Vamos, então, falar um pouco sobre a alimentação. A dieta deve ser balanceada, sempre com ênfase no consumo de vegetais e frutas, pois são alimentos reguladores, fonte de vitaminas e minerais, responsáveis pela saúde e disposição. Proteínas, carboidratos e lipídios – mais importante do que a quantidade é a qualidade dos alimentos a serem consumidos. Nem todas as proteínas são iguais, e o mesmo acontece com os carboidratos e lipídios.

Proteína – Alimentos construtores. Responsáveis pela parte estrutural de tecidos, compõe mais de metade do peso seco do corpo é proteína, incluindo músculos, sangue, enzimas e hormônios. Se a proteína ingerida é insuficiente ou de baixa qualidade isto se reflete na capacidade física e pode trazer perda muscular. O exercício "gasta" reservas de proteínas, pois quando acaba o glicogênio do fígado, segue para o glicogênio muscular e depois para as reservas protéicas musculares. Assim, a atividade física aumenta consideravelmente a demanda de proteína pelo corpo. Para haver crescimento muscular tem que haver substrato, no caso aminoácidos prontamente disponíveis para repor as perdas e permitir a multiplicação das células do músculo.
Quanto maior for o valor biológico da proteína, mais aminoácidos e nitrogênio o organismo irá reter. O ovo é considerado a fonte de proteína mais assimilável, e recebe a graduação 100. Todas as demais proteínas são graduadas comparativamente em sua absorção em relação à proteína do ovo.

Whey Protein – a campeã
Os alimentos de alto valor biológico são basicamente as proteínas de origem animal, como os ovos (100), leite (90), carne, peixe e aves (80), e também há proteínas sintetizadas industrialmente como a proteína do soro do leite (Whey Protein), cuja gradação supera a do ovo, variando entre 110 e 160. As proteínas de origem vegetal possuem um aproveitamento protéico menor como, por exemplo, os feijões (50).

Carboidratos: é importante lembrar que apesar do músculo ser basicamente composto de proteína, o combustível principal utilizado por ele durante atividades físicas é o glicogênio (fruto dos carboidratos). O consumo de refeições 100% Carb free pós treino é ineficaz, pois é preciso energia para que a proteína seja absorvida e aproveitada da melhor forma, cumprindo seu papel construtor. 
Proteínas devem ser consumidas em todas as refeições, para facilitar a reparação muscular e o crescimento das fibras musculares, não só após o treino. As quantidade recomendadas variam conforme idade, sexo, altura, peso e atividade física, devendo ser estabelecida dentro de um Programa Alimentar Individualizado. 

É perigoso ingerir proteína demais?
Sim, além do excesso não ser aproveitado, pode prejudicar os rins.  Apenas um profissional responsável pode definir qual a quantidade correta para você e se o uso de suplementos é necessário e seguro no seu caso.

Quase metade das grávidas engordam mais do que o recomendado, aponta estudo

Você viram esta reportagem abaixo na Revista Crescer? É por isso que faço um programa bem completo para gestantes, com encontros quinzenais, para não correr o risco do peso disparar, aumentar a pressão arterial, desenvolver diabetes, garantir os nutrientes necessários para o bebê, prevenir estrias, preparar as mamas para a amamentação... Após o parto, há a sequencia com o acompanhamento da amamentação e a perda de peso da mamãe.


Uma pesquisa divulgada no jornal Obstetrics & Gynecology, a publicação oficial doAmerican College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG), nos Estados Unidos, revelou um dado preocupante: 47% das grávidas ganham mais peso do que o indicado durante a gestação. Para chegar a esse resultado, os cientistas analisaram informações de cerca de 44 mil mulheres, que deram à luz entre 2010 e 2011 nos Estados Unidos. Os pesquisadores ainda não identificaram ao certo quais são os fatores que contribuem para o excesso, mas os resultados apontam outro dado crítico: mulheres que estão obesas ou acima do peso no início da gravidez têm de duas a três vezes mais chances de engordarem além do que deveriam. “Por isso, é importante que aquelas que estão planejando engravidar no futuro mantenham um peso saudável”, conclui a doutora Andrea Sharma, cientista sênior na Divisão de Saúde Reprodutiva doCenters for Diseases Control and Prevention (CDC) e autora do estudo.
Grávida na balança (Foto: Thinkstock)

É claro que essa não é uma tarefa fácil. “A rotina agitada não permite, muitas vezes, que a gestante faça uma dieta saudável durante o dia, por conta da correria do trabalho. Outro fator que contribui para o ganho de peso é a falta de tempo para fazer atividade física”, explica o ginecologista e obstetra Luis Fernando Leite, do Hospital e Maternidade Santa Joana (SP). Algumas armadilhas, como comer fora de hora e ingerir carboidratos em excesso, como pães, bolachas, bolos e doces em geral, também podem fazer o ponteiro da balança andar mais do que deveria. O consumo de bebidas industrializadas, como sucos e chás, que costumam conter alto teor de açúcar, aumentam consideravelmente a ingestão de calorias.
Quais são os riscos?

O ganho excessivo de peso durante a gestação pode trazer sérios problemas tanto para a mãe quanto para o bebê. Além de aumentar os riscos de a mulher desenvolver pressão alta e diabetes, os quilos extras podem provocar dores nas costas, dores articulares, inchaço, prisão de ventre, infecções e dificuldade para respirar e dormir. Isso sem falar na possibilidade de ter varizes e estrias, que deixam marcas na pele. Vale ressaltar ainda que, quanto mais peso a mulher ganhar na gravidez, mais esforço terá que fazer para emagrecer após o nascimento do bebê. “Estudos mostram que o fracasso em retornar ao peso anterior no período de seis a doze meses após o parto é um importante indicador de obesidade para a mãe a longo prazo”, explica Andrea.

Outros fatores que a consequência do controle de peso traz são o risco de complicações no parto, de prematuridade ou do bebê nascer acima do peso ideal -- o que aumenta a chance da criança ser obesa.
Nada de comer por dois

“Um embrião de 14 semanas deve pesar em torno de 100 gramas. Com 20 semanas (na metade da gravidez), o peso médio é de apenas 300 gramas e com 27 semanas (seis meses completos), cerca de um quilo. Portanto, não se justifica engordar muito até pelo menos cinco meses de gravidez”, explica Leite.
O primeiro trimestre não requer um reforço na dieta – mesmo porque os enjoos são frequentes e, por conta disso, o apetite costuma diminuir. “Nessa fase, a mãe possui reserva dos nutrientes necessários para o desenvolvimento do feto, desde que não tenha iniciado a gestação abaixo do peso”, explica a nutricionista Isabelle Tafuri da Clínica Nutrivial. Já no segundo trimestre, a mulher deve ingerir cerca de 340 calorias extras por dia e no terceiro, 450. Para se ter uma ideia, 350 calorias equivalem a uma maçã de tamanho médio, um copo de iogurte grego sem gordura e um punhado de amêndoas. Ou seja: acrescentando um lanchinho saudável ao dia já dá para satisfazer a demanda calórica da gestação – não é preciso aumentar as porções das principais refeições, nem recorrer a alimentos calóricos.

“Para evitar a hipoglicemia, a gestante não deve permanecer por mais de três horas sem se alimentar, realizando três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e lanches intermediários”, explica a nutricionista.

O peso da gravidez

Vamos fazer um cálculo rápido. O bebê pesa cerca de 3 quilos. A placenta, que será eliminada no parto, normalmente tem 20% da massa da criança, ou seja, aproximadamente 600 gramas. Até o final da gestação, o corpo da mulher produziu cerca de 1 litro de líquido amniótico,  o que equivale a mais ou menos 1 quilo. Fora isso, a gestante costuma ter pelo menos 1,5 litro - 1,5 quilo - de líquido extracelular, o culpado por aquele inchaço todo, e ainda um volume de sangue 50% aumentado, que pode fazê-la ganhar até 2 quilos. Tudo isso junto soma o equivalente a 8 quilos – o resto é gordura e inchaço nas mamas devido à produção de leite. “É claro que isso tudo varia de acordo com o peso da mulher”, ressalta o obstetra e ginecologista Eduardo Zlotnik, vice-presidente do Hospital Albert Einstein. “Se a grávida já mantém um estilo de vida adequado, pratica atividade física e tem uma dieta saudável, terá menos retenção de líquidos”, completa.

A recomendação é que, já no início da gestação, a mulher consulte seu obstetra para receber uma orientação clara sobre quais são os limites para o ganho de peso de acordo com o seu índice de massa corpórea (IMC). Na dúvida, peça para o seu obstetra indicar um nutricionista. O profissional pode ajudá-la a controlar não apenas a quantidade de calorias, mas a qualidade da dieta.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Alimentos saudáveis também podem atrapalhar sua dieta. Entenda o por quê!

A mudança de hábitos alimentares é um fator determinante para que uma reeducação alimentar tenha sucesso. Esta mudança prioriza o consumo de frutas, legumes, alimentos mais nutritivos e escolha saudáveis, assim como a redução no consumo de açúcares e gorduras. O esforço costuma apresentar resultados benéficos na maioria dos casos, mas quando o ponteiro da balança se estabiliza, muitas pessoas se questionam sobre o que estão fazendo de errado. A resposta pode ser encontrada quando avaliamos detalhadamente a ingestão alimentar de cada indivíduo.
Certamente você já ouviu dizer que quem está de dieta tem que comer muitas frutas, mas quantas? Ou então para comer legumes a vontade! Você já pensou que a resposta para o fracasso da dieta pode estar nesta maneira de lidar com os alimentos?
Muitas pessoas confundem o termo alimentação saudável com a expressão comer a vontade! Isso passa a ser um grande problema nas dietas, já que as pessoas acham que por determinado alimento ser saudável (rico em nutrientes como vitaminas, minerais, fibras, etc) e adequado a dieta ele pode ser consumido a vontade, esquecendo que muitos deles são calóricos e contêm níveis de gorduras que podem atrapalhar a dieta, portanto podem ser consumidos, mas dentro de um planejamento alimentar.
Conheça alguns alimentos que parecem inofensivos mas que exigem cautela na hora do consumo:

1.Frutas e hortaliças
Excelente fonte de vitaminas, minerais e fibras, não devem faltar nunca na dieta, mas o consumo também precisa respeitar as quantidades estipuladas de  2 a 5 porções para frutas e 4 a 5 porções para hortaliças. É preciso lembrar que algumas frutas são bastante calóricas (abacate,manga, banana etc) e se consumidas em exagero certamente vão prejudicar sua dieta. Importante lembrar que são porções pequenas de frutas.

2.Frutas secas, granola e castanhas
Muito saborosas, ótimas opções para pequenos lanches, fonte de fibras e vitaminas que dão saciedade e energia. Porém, contém açúcar e gorduras. Prefira as versões diet/light. O recomendado por dia é em torno de 25 gramas ou 2 colheres de sopa.

3.Barrinhas de cereais
As barrinhas de cereais são ótimas opções para os lanches intermediários, mas contêm, em média, 100 calorias, portanto não devem ser ingeridas à vontade. As que possuem cobertura de chocolate costumam ser as mais calóricas. O seu consumo deve ser com moderação, apenas 1 unidade por vez em um dos lanches do fracionamento alimentar, acompanhadas de algum alimento proteico.

4.Água com sabor
A hidratação é fundamental para nosso corpo. A água nutre as células, desintoxica o organismo, faz os rins e intestino trabalhar melhor. O ideal é beber aproximadamente 2  litros de líquidos por dia. Mas o ponto negativo destas “águas” é que elas podem conter adoçantes e outros aditivos, que em excesso podem ser prejudiciais ao nosso organismo. Muitas atualmente já são classificadas como refrigerantes, portanto não devem ser consumidas de forma exagerada.

5.Acompanhamentos de saladas
A salada costuma ser uma ótima idéia para quem está fazendo dieta, mas dependendo do molho podem se tornar mais engordativas do que saudáveis. Uma opção mais saudável é um prato de salada de folhas verdes, tomate, pepino e palmito, temperada com molho de iogurte desnatado e acompanhada de uma proteína mais leve, como o peito de frango ou peixe grelhado.

6.Açaí
Apesar de ser rico em nutrientes e grande fonte de energia, o principal problema do açaí é a quantidade de calorias do alimento, são cerca de 250 calorias por 100 gramas. Alguns complementos na hora de consumí-lo como granola, banana e leite condensado ainda podem torná-lo mais calórico. O ideal é consumir o açaí puro e de preferência em porções pequenas.

7. Comida japonesa
Um dos alimentos preferidos da culinária japonesa é o sushi. Apesar de ser elaborado a partir de alga, vegetais e frutos do mar, o alimento tem a base de arroz e, às vezes, recheios calóricos. O sushi têm entre 20 e 45 calorias cada um, mas o problema é o tamanho da porção consumida de uma só vez. A recomendação de consumo é de quatro unidades. Passe longe do rodízio!

8. Refrigerante light, diet ou zero
Embora os refrigerantes desse tipo não forneçam calorias, há um outro elemento deste produto que é o adoçante. Estudos mostram que quanto maior for o consumo de adoçantes, maior fica o desejo por doces, já que o efeito do adoçante nas papilas gustativas faz com que estas fiquem mais receptivas ao sabor doce. Além disso, a maioria destas bebidas apresenta uma concentração de sódio alta, não sendo recomendado em grande quantidade aos pacientes hipertensos.

9. Azeite
Alimento extremamente saudável, fonte de gorduras conhecidas como “boas” e protetoras do sistema cardiovascular, mas bastante calórico. Uma colher de sopa de azeite já nos fornece cerca de 120 calorias.

Portanto, mesmo os alimentos considerados mais saudáveis, precisam ser consumidos com moderação ou podem engordar. O planejamento alimentar é parte fundamental da dieta, e o nutricionista irá orientá-lo exatamente sobre as quantidades e fracionamento ideal diário.



Adaptado de:  ANutricionista.Com - Tatiane T. de Brito - CRN3 26450 - Ribeirão Preto.


SE VOCÊ GOSTOU DESTE POST, CADASTRE-SE PARA ACOMPANHAR O BLOG OU CLIQUE CURTIR NA PÁGINA DO FACEBOOK PARA LER NOTÍCIAS NA SUA PÁGINA: http://www.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

sexta-feira, 20 de março de 2015

Doce de Whey Protein para acabar com a compulsão alimentar!


Quem é que está livre daqueeeela vontade de comer um docinho? Ou de atacar a geladeira? Comer a despensa toda? Pode ser porque você está triste ou porque está feliz, por ansiedade, briga com o (a) namorado (a), mas a verdade é que todos passamos por isso.
O pior, é que quando acontece, basta comer um pedacinho de chocolate, para querer comer a caixa toda. Ou começar com um salgadinho, passar para o sorvete, depois completar com umas barrinhas... Depende da oferta. Mas quanto mais carboidrato, mais vontade de comer carboidrato, reparou?
O mesmo não acontece com a proteína, então vou passar uma dica valiosa para estes momentos. Você vai consumir 230 kcal e a saciedade virá. De quebra, você ajuda seus músculos!  :)
Você pode utilizar marcas diferentes das que utilizo. Escolhi este Whey protein porque ele é de lenta absorção, então segura a fome por mais tempo, e porque tem pedacinhos de chocolate.

Ingredientes

2 col de sopa bem cheias de leite Molico em pó
1 scoop de Whey NO2 Micelar Probiotica - sabor chocolate
50 ml de água

Misture a água aos ingredientes até ficar bem cremoso (cuidado para não deixar aguado). Pode colocar mais ou menos água, à seu critério/ Colocar ou não 1 envelope de adoçante, também depende do paladar.

Enjoy!

Se você gostou deste blog, cadastre-se para ACOMPANHAR O BLOG  POR EMAIL no link ao lado deste post ou clique CURTIR NO FACEBOOKwww.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

Instagram: @nutri.aline

quinta-feira, 12 de março de 2015

Safras de Março



Se você gostou deste blog, cadastre-se para ACOMPANHAR O BLOG  POR EMAIL no link ao lado deste post ou clique CURTIR NO FACEBOOKwww.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

Instagram: @nutri.aline

10 anos de Consultório em Alphaville!


Este mês completo 10 anos de consultório em Alphaville! Para comemorar, blog, facebook, receituário, tuuuudo está de cara nova! Espero que gostem :)


Deixem suas sugestões do que gostariam de ler por aqui!

Beijos



Se você gostou deste blog, cadastre-se para ACOMPANHAR O BLOG  POR EMAIL no link ao lado deste post ou clique CURTIR NO FACEBOOKwww.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

Instagram: @Nutri.aline

quarta-feira, 11 de março de 2015

Consultas Online

Segundo o CRN3 (Conselho Regional de Nutricionistas), "uma vez já tendo ocorrido o atendimento presencial, com uma adequada avaliação e diagnóstico nutricional, prescrição dietética e acompanhamento da evolução nutricional, o contato telefônico ou por meio eletrônico poderá ser utilizado como um canal aberto de comunicação para que o paciente possa tirar dúvidas, receber a prescrição dietética e orientações gerais (desde que verbalizados previamente no atendimento presencial)"

É essencial, que tenha havido , no entanto, a consulta presencial, que inclua avaliação nutricional, diagnóstico nutricional e prescrição dietética, além de garantir o acompanhamento da evolução do paciente.

Esta ferramenta é muito interessante e permite que a internet/skype tragam informações importantes e esclarecimentos individualizados, mesmo às pessoas ocupadas, com embasamento científico, diferente das fontes duvidosas que se encontra numa busca aleatória. 



Se você gostou deste blog, cadastre-se para ACOMPANHAR O BLOG  POR EMAIL no link ao lado deste post ou clique CURTIR NO FACEBOOKwww.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

Instagram: @nutri.aline

Instagram


O Instagram pode ser uma maneira muito leve, rápida e divertida de se obter conhecimentos nutricionais. Ao mesmo tempo, pode ser também muito perigoso, por estar repleto de pessoas sem formação que dão "dicas", sem qualquer embasamento.

Meu instagram profissional é @nutri.aline

Recomendo a leitura de:

#teamcerebro
@drpaulogentil
@gutogalamba


Se você gostou deste blog, cadastre-se para ACOMPANHAR O BLOG  POR EMAIL no link ao lado deste post ou clique CURTIR NO FACEBOOKwww.facebook.com/nutricionista.alinelamarco

Instagram: @nutri.aline